Últimas

Prefeitura estuda expandir o projeto ‘Eba! Vamos brincar!’

A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), estuda a criação de dois estúdios equipados para a gravação das aulas do projeto “Eba! Vamos brincar!”, para reforçar o processo de aprendizado durante a pandemia.


A iniciativa, destinada à criação de conteúdo divertido e lúdico em aulas remotas para alunos da educação infantil, é desenvolvida por 22 professores de educação física que compõem a Caravana da Educação Infantil, atendendo, aproximadamente, 50 mil crianças. A melhoria na estrutura escolar é uma das orientações do prefeito David Almeida para atender os estudantes e professores.

Atualmente, a Caravana grava as aulas na sala de recursos do Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Fernando Trigueiro, usando equipamentos simples, mas, segundo o secretário de Educação, Pauderney Avelino, o projeto terá total apoio e será expandido.


“Achei fantástico. Esse é um trabalho que tem a iniciativa dos próprios professores do ensino infantil, e eu fiquei muito feliz de ver eles mostrando com criatividade como é possível promover um ensino de qualidade nesse momento difícil que estamos vivendo, com essa pandemia. A Secretaria vai dar todo o apoio para que iniciativas como essa possam progredir na rede”, frisou.

A chefe da Educação Infantil da Semed, Ângela Almeida, explicou que as aulas publicadas na plataforma YouTube são fundamentadas em documentos e propostas oficiais da educação infantil da rede municipal. Hoje, a iniciativa, segundo Ângela, é sucesso na internet pelo expressivo número de acessos.

“Mais de  50 mil crianças já assistiram a essas aulas; ou seja, esse projeto, sem sombra de dúvidas, está contribuindo muito com o processo de aprendizagem dessas crianças, e  esperamos que ele possa crescer ainda mais e que sirva de apoio para os professores da rede e os nossos alunos”, destacou. As aulas são distribuídas também pelo WhatsApp dos pais dos alunos.

A professora Natalie Cancelli Faria conta que faz toda a edição de vídeo no próprio celular e sempre prepara com carinho cada aula, para manter os alunos empenhados com os conteúdos que são ministrados.


“A gente grava tudo aqui no Cmei, depois em casa edito tudo pelo celular, aí vejo se  o áudio e as imagens ficaram boas, e  como  tudo é  gravado em um fundo verde, tenho cuidado para não usar as cores verdes, amarelas e prateadas, porque, caso use, eu não vou poder fazer o recorte devido do vídeo”, explicou.

De acordo com a gestora do Cmei Fernando Trigueiro, Rejane Socorro Régis, ela cedeu o espaço da escola por entender que a iniciativa é importante para dar apoio aos professores de educação infantil de toda a rede.


“Esse projeto é de suma importância para aprendizado dos nossos alunos, porque, por meio dele, as crianças conseguem obter conhecimento nas suas próprias casas, de uma forma acolhedora e no aconchego do seu lar, sem correr qualquer risco de saúde”, salientou a gestora.

— — —

Texto – Asafe Augusto de Oliveira/Semed

Fotos – Alex Pazuello/Semed

Nenhum comentário