Últimas

Ao vivo: CPI da Covid elege presidente e define relator; acompanhe

Brasília – Os integrantes da CPI da Covid, criada pelo Senado para investigar ações e omissões do governo Jair Bolsonaro e repasses a Estados e municípios no enfrentamento à pandemia, estão reunidos para a primeira reunião do colegiado nesta terça-feira (27). Neste primeiro encontro, os senadores vão oficializar as escolhas do presidente,  do vice e do relator da comissão em meio a um clima de guerra. Sem maioria no colegiado, o Planalto já indicou que partirá para o ataque contra parlamentares da oposição.

Primeiro senador a pedir a palavra, o senadorCiro Nogueira (PP-PI), aliado ao presidente Bolsonaro, tentou postergar a instalação da CPI alegando que alguns senadores indicados pelos partidos para compor a comissão já participam de outros colegiados do tipo, o que seria vetado pelo regimento do Senado. O senador Otto Alencar (PSD-BA), que preside a sessão por ser o mais velho do grupo, não acatou o pedido de Nogueira, que poderia tirá-lo do grupo.

Jorginho Mello (PL-SC), também próximo ao Planalto, seguiu na mesma linha de Nogueira e citou o regimento interno do Senado para destacar que o senador Renan Calheiros (MDB-AL), que é pai do governador de Alagoas – um dos alvos do colegiado -, não pode participar da comissão, muito menos relatar, pela relação parental.

Adecisão liminar da Justiça do DF de barrar, na noite desta segunda, 26, a indicação do senador Renan Calheiros(MDB-Al) para o cargo de relator só acirrou os ânimos. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e o próprio Renan, consideraram a determinação uma interferência no trabalho legislativo em uma sinalização de que a ordem não será cumprida. Pelo acordo feito entre a maioria dos integrantes, a presidência da CPI ficará com o senador Omar Aziz (PSD-AM). Assista:

Aziz, por sua vez, já confirmou que pretende manter a indicação de Renan. O favorito para ocupar a vice-presidência é Randolfe Rodrigues. A sessão é feita de forma semipresencial, ou seja, parte dos senadores estará na sala da CPI, parte pode acompanhar a distância. A votação, entretanto, será exclusivamente presencial.

Com a CPI mirando erros e omissões do governo no combate à pandemia, Bolsonaro passou a reforçar nos últimos dias ameças de uso das Forças Armadas para reverter medidas de isolamento social tomadas por governadores para conter a propagação da doença.

Ao mesmo tempo, o governo já se prepara para se defender das eventuais acusações a serem levantadas pela CPI. A Casa Civil enviou um e-mail para ministérios enumerando 23 afirmações com as quais os aliados podem ser confrontados e pedindo informações para rebater cada ponto. Trata-se de uma lista de erros do governo destacados pela oposição.

Acompanhe no Link abaixo:

<iframe width="690" height="413" src="https://www.youtube.com/embed/pyTjnz751qE" title="YouTube video player" frameborder="0" allow="accelerometer; autoplay; clipboard-write; encrypted-media; gyroscope; picture-in-picture" allowful<iframe width="690" height="413" src="https://www.youtube.com/embed/pyTjnz751qE" title="YouTube video player" frameborder="0" allow="accelerometer; autoplay; clipboard-write; encrypted-media; gyroscope; picture-in-picture" allowfullscreen></iframe>lscreen></iframe>

Fonte: D24am. Leia mais em https://d24am.com/politica/ao-vivo-cpi-da-covid-elege-presidente-e-define-relator-acompanhe/


/

Nenhum comentário