Últimas

DEHS prende homem acusado de matar venezuelano com golpes de barra de ferro

A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), por meio da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) cumpriu, na tarde de segunda-feira (19/07), por volta das 16h30, mandado de prisão preventiva em nome de Alessandro Souza Farias, 28, apontado como autor do homicídio praticado contra Francisco Luís Zacarias Mendonza, que tinha 42 anos. O crime ocorreu no dia 19 de junho deste ano, por volta das 21h25, no bairro Parque Dez de Novembro, zona sul de Manaus.

A decisão judicial foi cumprida no momento em que o indivíduo compareceu ao 23º Distrito Integrado de Polícia (DIP), para registrar um Boletim de Ocorrência (BO) de outra natureza, e foi reconhecido pelas equipes da Especializada.

De acordo com o delegado Charles Araújo, titular da DEHS, na ocasião do delito, Alessandro e Francisco estavam discutindo e o suposto autor proferiu palavras ofensivas referentes à nacionalidade da vítima, que era venezuelano, insultando também a esposa dele e outro indivíduo que estavam no local.

“Após o ocorrido, Alessandro, que apresentava comportamento alterado e estava sob efeito de entorpecentes, foi até a sua casa, retornou com uma barra de ferro, e atingiu o braço da vítima, que caiu no chão. Ele continuou a ação criminosa, desferindo dois golpes na cabeça da vítima, que foi a óbito no local”, disse a autoridade policial.

Segundo Araújo, na ocasião, a esposa da vítima, que tentava desarmar o indivíduo, também foi atingida nas costas. Em seguida, Alessandro fugiu do local e levou o objeto utilizado no crime.

“Após tomarmos ciência sobre o crime, iniciamos as diligências a fim de elucidar o caso. Foi solicitada à Justiça pelo mandado de prisão preventiva em nome do infrator, e este foi expedido no dia 14 de julho deste ano, pela juíza Careen Aguiar Fernandes”, contou Araújo.

Procedimentos

Alessandro irá responder pelo crime de homicídio. Após o término dos procedimentos cabíveis na Especializada, ele será encaminhado à Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde ficará à disposição da Justiça.

Nenhum comentário