Últimas

Caso Lucas: advogado dos suspeitos questiona fala de delegada: “Eles são muito cristãos”

O advogado  Almicar Pinheiro questionou afirmações da delegada Mirna Miranda, que rotulou o casal Jordana Azevedo Freire e Joabson Agostinho Gomes como foragidos durante uma coletiva de imprensa. Pinheiro conversou com a equipe de reportagem no prédio da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) na manhã desta quarta-feira (22).

Nesta segunda-feira (21), a delegada afirmou que havia indícios de que as informações sobre a operação "vazaram", beneficiando os suspeitos.


Segundo o advogado, Joabson e Jordana saíram da casa onde moravam e foram à residência de um parente localizada na Zona Centro-Sul da capital, depois que tomaram conhecimento sobre o assassinato de Lucas por meio da veiculação do fato na mídia. Ele afirma que foi devido a isso que as equipes da DEHS não encontraram o casal na casa onde moravam.


Não houve vazamento [de informações sobre a operação de polícia]. Em momento nenhum eles fugiram. Se estivessem foragidos, não estariam nem em Manaus. Estavam apenas esperando minha chegada [para comparecerem à DEHS]”, afirmou.


Pinheiro declarou, também, que o casal se deslocou da casa do parente de volta à residência deles e depois foram à DEHS.


Não deu duas horas e eles já estavam aqui [na delegacia]. Quem está foragido não faz isso, né”, afirmou.


O advogado disse que o casal não se recusou a comparecer à unidade policial. “Eles nunca foram chamados, até a data de ontem, para prestar qualquer informação à delegada ou a quem prescinde o inquérito”, disse.

 

Pressupostos jurídicos

 

Pinheiro afirmou, ainda, que não há pressuposto legal que justifique a prisão temporária do casal, segundo o entendimento da defesa dos suspeitos.


Ele declarou que o casal não reclamou de nada, dormiu bem nas celas da delegacia e estão serenos quanto à situação. 


Ela [Jordana], que é mãe de duas crianças, está sendo submetida à constrangimento. Eles são muito resignados, muito cristãos. Eles consideram que estão presos de forma arbitrária”, disse.


Pinheiro reiterou que Joabson e Jordana negam participação no crime.


Os autos do processo ainda não estão abertos aos advogados. A defesa de Joabson e Jordana recorrerão contra a decisão da polícia, conforme Pinheiro. O casal segue em prisão temporária.




Fonte: A Acrítica

Nenhum comentário