Últimas

85% dos estupros de crianças e adolescentes no Amazonas são cometidos por 'conhecidos' da família

Manaus/AM - Das sete mil crianças e adolescentes vítimas de mortes violentas no ano de 2020, 187 foram no Estado do Amazonas, das quais 185 foram Mortes por Violência Intencional (MVI) e 22 Mortes por Violência Policial (MVIP), o que dá um índice de 19,75 mortes por 100 mil habitantes.

Nos últimos cinco anos, entre 2016 e 2020, um total de 35 mil crianças e adolescentes na faixa etária de 0 a 19 anos foram mortos de forma violenta no Brasil.

Os dados são do Panorama da Violência Letal e Sexual contra Crianças e Adolescentes no Brasil, lançado na última sexta-feira (22) pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Na região Norte, os estados que apresentaram maior taxa de mortes violentas em 2020 foram o Acre, com 48,41 mortes por 100 mil habitantes de 10 a 19 anos, seguido por Roraima, com 36,13.

A partir dos boletins de ocorrência em 26 estados e no Distrito Federal, o documento traz uma análise inédita mostrando que das 35 mil mortes violentas de pessoas até 19 anos, identificadas entre 2016 e 2020, cerca de 20 por dia, mais de 31 mil tinham entre 15 e 19 anos.

O tipo de crime mais praticado contra pessoas com idade entre 10 a 19 anos são os homicídios dolosos. Porém, ao longo dos últimos anos vem aumentando, em meio aos meninos a proporção de mortes decorrentes de intervenção policial.

No total de crianças de até nove anos mortas de forma violenta, mais da metade, ou 56%, eram negras, uma a cada três vítimas era menina, 40% morreram dentro de casa, e, quase a metade, 46% das mortes, ocorreram pelo uso de arma de fogo.

Quanto à violência sexual, crime que acontece mais na infância e no início da adolescência, os dados apresentados entre 2017 e 2020, revelam cerca 180 mil casos de estupro com vítimas de até 19 anos, sendo um a cada três em crianças de até 10 anos. 

Quase 80% das vítimas eram meninas entre 10 e 14 anos de idade. No caso dos meninos, o crime se concentra na infância, especialmente entre 3 e 9 anos de idade.

E quando há informações sobre a autoria dos crimes, mais de 85% eram pessoas conhecidas da família, de acordo com a diretora executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Samira Bueno.

A análise do Unicef mostra que a violência se dá de forma diferente de acordo com a idade da vítima. Crianças morrem, com frequência, em decorrência da violência doméstica, praticada por um agressor conhecido, da mesma forma ocorre com a violência sexual contra elas, cometida dentro de casa, por pessoas próximas. Já os adolescentes morrem, majoritariamente, fora de casa, vítimas da violência armada urbana e do racismo.

Nenhum comentário