Últimas

Deputado Dermilson Chagas afirma que estatísticas nacionais comprovam que Amazonas está entregue à bandidagem

O parlamentar ressaltou que o Amazonas figura no ranking de um dos estados com maior violência porque Wilson Lima está desviando recursos para ações eleitoreiras e não investe em segurança pública.

O deputado Dermilson Chagas (Podemos) afirmou, nesta terça-feira (23), que a falta de investimentos do Governo do Amazonas na área de segurança pública fez com que o Amazonas mergulhasse em um clima de violência, estimulando assaltos, roubos, furtos, latrocínios, lesões corporais, estupros, homicídios, feminicídios e a atuação de facções do tráfico de drogas. O comentário do parlamentar tem como base estatísticas nacionais divulgadas recentemente, sendo uma delas o Monitor da Violência, do portal G1.

De janeiro a setembro de 2021, foram registrados no Brasil um total de 30.954 homicídios. Em 2020, esse número foi de 32.471, segundo o Fórum Brasileiro de Segurança. Os dados revelam que, no Amazonas, o número de assassinatos subiu nesse período, enquanto no restante do país o número diminuiu, representando uma queda de 4,7%.

Os dados apontam que o Amazonas lidera o ranking de seis estados (Roraima, Amapá, Maranhão, Pará e Tocantins) onde houve aumento de mortes violentas, registrando 38% de crescimento em assassinatos. De janeiro a setembro, o Amazonas registrou 124 mortes a cada 100 mil habitantes, tendo Manaus como o epicentro da violência, onde aconteceram, sobretudo, diversos ataques de organizações criminosas. Agosto e setembro foram os piores meses, segundo o estudo, porque houve um aumento de 23% em relação ao mesmo período em 2020.

De acordo com dados da própria Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-AM), foram registrados 852 homicídios em Manaus de janeiro a outubro de 2021, indicando um aumento de 29,68% em comparação com todo o ano de 2020, quando foram registrados 657 assassinatos. Ainda segundo a SSP-AM, o mês de outubro deste ano foi marcado por 99 homicídios. Esse número revela um aumento de 62,63% em comparação com o mesmo período de 2020, quando aconteceram 37 assassinatos.

Outro dado divulgado pela SSP-AM revela que a violência em Manaus cresceu durante o período da pandemia, pois o número de homicídios ocorridos em Manaus de janeiro a outubro de 2021 foi maior do que o total de assassinatos registrados em 2019, que contabilizou 839 homicídios. E o mês considerado mais violento de 2021 foi setembro, que apresentou 101 homicídios.

Resultados negativos da falta de investimento

O parlamentar destacou que todo esse cenário de violência é reflexo direto da falta de planejamento do governador Wilson Lima, que prefere desperdiçar recursos públicos com ações visando às eleições de 2022, sobretudo a de gastos históricos com propaganda e publicidade, que neste ano já chegaram ao total de R$ 233 milhões, entre recursos empenhados e pagos.

De 2019 até o presente momento, Wilson Lima já gastou R$ 298,3 milhões em propaganda e publicidade. E no último dia 12 (sexta-feira), ele prorrogou o prazo e aditivou em mais R$ 86,1 milhões os contratos com as três agências de publicidade que prestam serviços por meio da Secretaria de Comunicação (Secom).

O deputado enfatiza que a atuação dos grupos criminosos no Amazonas influencia diretamente no aumento de casos de assassinatos, especialmente porque entre esses grupos costuma acontecer os “acertos de contas”, que é a cobrança de dívidas não pagas e a luta pelo controle de áreas de atuação dos traficantes. E, segundo o parlamentar, como o Amazonas tem proximidade com países que são produtores de drogas, como Colômbia, Bolívia e Peru, o Amazonas acaba se tornando preferencial na rota de distribuição da droga para outros estados do país e até para o exterior.

“O Governo do Amazonas, muito tardiamente, lançou esse programa ‘Amazonas Mais Seguro’, porque nós não podemos nos esquecer de que, entre os dias 6 e 8 de junho deste ano, aconteceram os ataques simultâneos de facções criminosas em Manaus, Parintins, Iranduba, Rio Preto da Eva, Careiro Castanho, Manacapuru e Carauari. E no dia 9 de julho deste ano, o titular da Secretaria-Executiva-Adjunta de Inteligência (Seai) da Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), o delegado da Polícia Civil (PC-AM) Samir Freire, foi preso durante a operação Garimpo Urbano, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado (Gaeco), com apoio operacional da Polícia Federal (PF), sob a acusação de utilizar a Secretaria para roubo de ouro ilegal. Agora, reflitam e perguntem a vocês mesmos: ‘Como é que o governador pode dizer que vai combater o crime organizado, se o crime organizado está dentro do governo dele?”, questionou o deputado.

Menos dinheiro para a segurança pública

Além disso, o deputado Dermilson Chagas lembrou que o Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2021 revelou que o Governo do Amazonas diminuiu em 2020 os investimentos em segurança pública em comparação ao ano de 2019. No primeiro ano da gestão Wilson Lima, o percentual investido era de 11,1%. No ano seguinte, caiu para 10,7%. Dessa forma, o Estado, que em 2019 investiu recursos de R$ 2,108 bilhões em segurança pública, diminuiu para R$ 1,101 bilhão.

A publicação reúne informações fornecidas por secretarias de Segurança Pública de todo o Brasil e por corporações como Polícia Civil, Polícia Militar e federal, entre outras fontes oficiais de Segurança Pública, e fazem um amplo retrato da Segurança Pública brasileira. A edição deste ano foi lançada no mês de julho.

Isso significa que houve menos investimentos em equipamentos, viaturas, policiamento, informação e inteligência, e só comprova o que eu já vinha afirmando há muito tempo que o Governo do Amazonas deixou a segurança pública abandonada. Por isso tivemos tantos acontecimentos terríveis tanto na capital quanto no interior”, frisou Dermilson Chagas. 

Situações absurdas na capital e no interior

O deputado Dermilson Chagas lembrou que, nos meses de julho e agosto, aconteceram fugas de presos no município de Iranduba. O parlamentar visitou, de julho até o presente momento, Anori (a 195 km de Manaus em linha reta), Santo Antônio do Içá (a 880 km), Fonte Boa (a 678 km), Jutaí (a 75 km), Autazes (a 113 km) e Tefé (a 523 km) e São Gabriel da Cachoeira (a 862 km) e pôde constatar a falta de investimento na área da segurança pública. Por isso, o parlamentar denunciou, por meio de suas redes sociais, o estado de abandono que as delegacias do interior do estado se encontram por falta de investimento do Governo do Amazonas.

Não existe segurança no interior do Estado. Existe a presença de alguns policiais. A ausência do contingente é muito grande para suprir as necessidades dessas localidades, seja em qualquer município. Existe uma ausência de policiais muito grande, tanto de policiais civis quanto de policiais militares”, afirmou o parlamentar.

Dermilson Chagas explicou que, em Jutaí, por exemplo, a Delegacia Interativa de Polícia (DIP) não possui a estrutura adequada para a realização do trabalho dos policiais, pois não há internet e nem equipamentos, dentre eles computadores, para o registro de ocorrências e demais atendimento à população. Por isso, os policiais e servidores administrativos da delegacia de Jutaí são obrigados a recorrer ao prédio do Fórum da cidade para realizar essas tarefas, inclusive para realizar audiências de custódia on-line com presos.

O deputado contou que o abandono da segurança pública por parte do Governo do Estado em Jutaí fez com que a cidade fosse tomada pela criminalidade por conta do tráfico de drogas e também pelo fato de existir área de garimpo no entorno do município. “É um verdadeiro descaso e um absurdo total, porque encontrei até fezes de pombo na delegacia, que está completamente abandonada”, ressaltou o parlamentar.

Dermilson Chagas também relatou que há, nos municípios, situações absurdas que precisam ser sanadas na área da segurança pública.

 “Em Fonte Boa, por exemplo, a Polícia Civil não se mistura com a Polícia Militar. Em Borba e São Gabriel da Cachoeira, são os presos que cuidam da delegacia. Então, não podemos esperar nada. E é uma atitude proposital do Governo, porque nem o ex-secretário de Segurança Pública tinham planejamento estratégico e tampouco o atual titular da SSP. O que está acontecendo no momento, com esse ‘Amazonas Mais Seguro’ é puro teatro visando as eleições de 2022, porque não adianta dizer que está comprando armas e viaturas, porque é necessário ter um planejamento estratégico e global, totalmente coordenado entre as polícias Civil e Militar, para que haja o combate ao crime organizado efetivamente e não essa pavulagem que o Governo fica divulgando através de propaganda e publicidade, que é para onde realmente está sendo escoado todo o dinheiro público. Nunca, em nenhum governo, já se gastou tanto com propaganda e publicidade como está sendo gasto agora”, assegurou Dermilson Chagas.



Nenhum comentário