Últimas

Oito festas clandestinas são encerradas em Manaus

Manaus (AM) – Cinco estabelecimentos foram interditados e oito festas foram encerradas por irregularidades entre sábado (15) e domingo (16) em Manaus. A ação coordenação da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) acontece por determinação do governador Wilson Lima. 

Conforme o decreto do Governo do Estado, está suspensa a realização de eventos de qualquer natureza com vendas de ingressos. De acordo com o secretário de Segurança Pública, general Carlos Alberto Mansur, os casos de Covid-19 no Amazonas apresentaram um aumento expressivo e, por isso, é necessário que a população tenha consciência em tomar as medidas sanitárias necessárias. 

“É importante que as pessoas tenham ciência que não podemos nos aglomerar, estamos vivendo a situação de muitos casos de Covid, ainda mais com essa nova variante, a Ômicron. As pessoas têm que ter ciência de que não se pode ter evento com vendas de ingressos. Pedimos que a população tenha essa consciência de não se aglomerar e não participar dessas atividades que são clandestinas”, destacou o secretário. 

A fiscalização iniciou na Zona sul de Manaus, em uma casa de samba. O estabelecimento Encontro Resenhas/Samba da Gente, localizado na avenida Carvalho Leal, bairro Cachoeirinha, teve as atividades encerradas pela CIF. O local ainda foi interditado por ausência de alvará de funcionamento, além de não possuir licença ambiental para utilizar equipamento sonoro, e não foi ainda apresentada a licença sanitária. O local também estava descumprindo o decreto por vender ingresso, e sem cumprir as medidas sanitárias recomendadas.  

Na avenida Leopoldo Peres, no bairro Educandos, os estabelecimentos Ilha Gelada Amazon e Bar Todo Dia tiveram as atividades encerradas. A Ilha Gelada foi notificada pela ausência de licença ambiental de equipamento de som e interditada por ausência de alvará de funcionamento. O Bar Todo Dia também foi interditado por não possuir documentação necessária para funcionamento. No local, foi apreendida uma máquina caça-níquel, e o proprietário foi conduzido ao 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP) para esclarecimentos. 

O Mirante do Amarelinho, localizado na rua Rio Negro II, no mesmo bairro, teve as atividades encerradas pela CIF por descumprimento ao decreto, além de não possuir licença ambiental para equipamento de som. 

A casa de shows Augusta Haus, localizada na avenida Pedro Teixeira, bairro Dom Pedro, zona centro-oeste da capital, foi interditada pelos agentes de fiscalização. Além da venda de ingressos, o estabelecimento não possuía alvará de funcionamento e licença ambiental para equipamento sonoro. O responsável pela casa ainda foi orientado pelo Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM). 

Na avenida do Turismo, bairro Tarumã, zona oeste, a casa de Forró João de Barro teve as atividades encerradas pela CIF por descumprir o decreto. 

Nenhum comentário