Últimas

Livro-reportagem debate o papel de Manaus na bioeconomia

 


O papel da cidade de Manaus na agenda da bioeconomia e do desenvolvimento sustentável é um dos temas da obra ‘Manaus de Frente para a Floresta’, de autoria do jornalista Sérgio Adeodato, com lançamento marcado para a próxima terça-feira, dia 17 de maio. O livro-reportagem é baseado em mais de 60 entrevistas com pesquisadores, ambientalistas, empresários, lideranças sociais, gestores públicos, empreendedores de inovação e ícones da cultura manauara, que compartilham suas visões sobre a relação entre a capital do Amazonas e a floresta que a cerca.

Um dos entrevistados do livro é o diretor de Inovação e Bioeconomia do Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (Idesam), o engenheiro florestal, Carlos Koury. Ele aborda sobre o olhar das organizações não-governamentais para o bionegócio na Amazônia e a busca de soluções para os desafios de empreender de forma sustentável na floresta. 


“Manaus tem um papel diferenciado entre todas as capitais para ser promotora de uma bioeconomia da Amazônia. Temos um grande polo tecnológico que tem desenvolvido startups, que podem entregar soluções para cadeias produtivas e toda a agregação de valor que se espera da biodiversidade amazônica”, exemplifica Koury, que também é coordenador do Programa Prioritário de Bioeconomia (PPBbio). A iniciativa é uma política pública da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), voltada ao repasse de investimentos das empresas em novas tecnologias.

O livro é um dos produtos do projeto multimídia “Manaus de Frente para Floresta”, que tem apoio da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), Fundação Amazônia Sustentável (FAS), Idesam, Instituto Arapyaú, Uma Concertação pela Amazônia, Impact Hub Manaus e Coca-Cola Brasil. O objetivo da iniciativa é contribuir para o debate sobre as soluções e o futuro de Manaus, e de suas diferentes realidades.

De acordo com Sérgio, Manaus concentra uma infraestrutura fundamental para o avanço da bioeconomia na região. “Como capital e maior metrópole da Amazônia, Manaus concentra a principal infraestrutura de institutos de pesquisa, indústrias, serviços e de uma cidade que atrai cérebros e novos projetos, além de investimentos que acabam resultando no desenvolvimento da bioeconomia”, afirma o autor.




“O aprendizado e toda infraestrutura construída pela Zona Franca, por exemplo, precisa servir também a esse novo eixo econômico que é importante para diversificar a economia do Amazonas. A metrópole é fundamental nesse processo por concentrar cérebros e serviços necessários para a chegada de novos projetos”, explica Sérgio.


Fotojornalismo


Não A obra ‘Manaus de Frente para a Floresta’ traz textos, fotos, dados e análises sobre os aspectos econômico, social e ambiental da maior metrópole da Amazônia, uma região que se encontra no centro das discussões sobre a mudança climática e o desenvolvimento sustentável. Para acompanhar a temática do convívio cidade-floresta, o livro possui imagens fotográficas produzidas pelos fotojornalistas Bruno Kelly e André Pessoa.




Lançamento


O lançamento do livro acontece na terça-feira, dia 17 de maio, a partir das 18h30, no Impact Hub Manaus, situado na avenida Efigênio Salles, 1299, Aleixo. O evento contará com a performance do rapper amazonense Jander Manauara.


Crédito das imagens: Bruno Kelly

Nenhum comentário