Últimas

Crédito Rosa: empreendedoras recebem cheque-símbolo de R$ 4 mil em ação em Presidente Figueiredo

Aureliane de Castro, empreendedora contemplada pelo Crédito Rosa 


Um dos órgãos participantes da ação do Governo Presente em Presidente Figueiredo (a 117 quilômetros de Manaus), na segunda-feira (13/06), a Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas), em parceria com a Agência de Fomento do Amazonas (Afeam), realizou a entrega simbólica de três cheques no valor de R$ 4 mil para mulheres que empreendem e que foram contempladas pelo programa Crédito Rosa.

 

Moradora do bairro Galo da Serra em Presidente Figueiredo, a empreendedora do ramo de artesanatos e bijuterias, Aureliane de Castro, de 29 anos, expressou gratidão com a chegada do fomento, que vai ajudar com o aumento das vendas.

 

Vai ser uma grande ajuda porque eu vou poder investir em vários materiais novos, como miçangas e embalagens novas, para deixar os meus produtos mais bonitos e assim conseguir mais clientes. Estou muito feliz de ter sido contemplada hoje aqui”, disse.

 

Outra contemplada foi a autônoma empreendedora no ramo de papelaria, Dayane Souza, de 29 anos, que contou que a chegada do financiamento vai proporcionar a abertura de uma loja on-line.

 

Eu já estava em mente com essa ideia de abrir uma loja on-line para vender aqui mesmo no município, mas para isso eu precisava de novos produtos para serem apresentados e assim vender mais. Foi quando soube do Crédito Rosa,  resolvi tentar e agora estou aqui sendo contemplada”, pontuou. 

 

O Crédito Rosa é um fomento voltado a mulheres empreendedoras que tiveram suas atividades afetadas pela pandemia de Covid-19. Os financiamentos variam de R$ 500 a R$ 21 mil, de acordo com a análise de crédito da solicitante.

 

Prato Cheio


Ainda em Presidente Figueiredo, a Seas participou da abertura do restaurante popular Prato Cheio no município. Inaugurada pelo governador Wilson Lima, a unidade vai servir 400 refeições por dia, de segunda a sexta-feira, pelo valor simbólico de R$ 1. O programa é administrado pela Seas e pela Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental (Aadesam).

 

Foto: Jimmy Christian/Seas

 


Nenhum comentário