Últimas

Potássio do Brasil assina convênio de cooperação para a realização da 24ª Festa do Leite e 23ª Festa Agropecuária de Autazes

Ação faz parte da responsabilidade social da empresa que tem objetivo de apoiar iniciativas de inclusão social e cultural do município


A Potássio do Brasil assinou, na tarde desta quinta-feira (28), um convênio de cooperação com a Prefeitura Municipal de Autazes para a realização da 24ª Festa do Leite e 23ª Festa Agropecuária de Autazes, que teve início também nesta quinta-feira e segue até o próximo domingo (31).


O convênio de cooperação tem o objetivo de apoiar as iniciativas que promovem a inclusão social e cultural do município de Autazes. Isso faz parte da política de responsabilidade social da Potássio do Brasil que irá implantar o Projeto Potássio Autazes no município e entorno.


O convênio de cooperação prevê o pagamento das despesas com publicidade e divulgação, além de eventuais premiações do evento. Tanto a 24ª Festa do Leite quanto a 23ª Festa Agropecuária de Autazes mobilizam as atividades econômicas derivadas da agricultura, produção rural e do agronegócio do município. Os eventos são uma grande oportunidade para o agronegócio regional, geração de emprego e renda, com expectativa de injetar mais de R$ 5 milhões na economia de Autazes.




De acordo com o presidente da Potássio do Brasil, Adriano Espeschit, incentivar festas e eventos como esse é uma forma de estímulo à economia do município, uma vez que o evento também promove negócios e parcerias.


“Um dos valores da Potássio do Brasil é o incentivo ao desenvolvimento social, cultural e econômico. O Projeto Potássio Autazes que vai trabalhar na extração de Cloreto de Potássio no município também será um importante gerador de empregos e renda na região. Além disso, temos mais de 30 programas socioeconômicos e ambientais, pois o Projeto é sustentável. Cooperar com a Festa do Leite e a Festa Agropecuária é uma das nossas ações de responsabilidade social também. Aproveito para homenagear os agricultores de Autazes e do país pelo seu dia. Eles são fundamentais para a nossa segurança alimentar no Brasil e no mundo”, afirmou o presidente.


O prefeito de Autazes, Andreson Adriano Oliveira Cavalcante, falou da importância do convênio de cooperação e do Projeto Potássio Autazes para o município, para o Brasil e para o mundo.  


“Estou aqui no estande da Potássio do Brasil e acabei de assinar um convênio de patrocínio para a Feira Agropecuária e Festa do Leite. Hoje, que é o dia do agricultor e Autazes ganha esse estande explicando a importância desse Projeto para Autazes, para o Brasil e para o mundo. É fundamental garantir a segurança alimentar dessa geração e das próximas”, afirmou o prefeito.


O Projeto Potássio Autazes vai gerar 2,6 mil empregos diretos anualmente, durante as obras de implantação. Depois, na fase de operação da fábrica de Cloreto de Potássio extraído do solo de Autazes serão gerados 1,3 mil empregos diretos e 17 mil indiretos.


“A importância do Projeto Potássio Autazes para o Brasil é muito significativa. Nós vamos produzir aqui em Autazes cerca de 20% da produção de Potássio consumidos no Brasil. É muito importante que a gente implemente esse projeto o mais rápido possível. O Brasil consome 12 milhões por ano. Então, 95% do nosso Cloreto de Potássio vem do exterior. Os principais produtores são Canadá, Rússia, Bielorrússia, Alemanha e Israel. Com as sanções econômicas impostas à Bielorrússia, começou-se a ter um problema de escassez de Potássio no mundo. Isso fez com que o preço subisse. Depois, com o efeito da guerra entre Rússia e Ucrânia, esse problema foi potencializado. E aí tivemos menos Cloreto de Potássio disponível no mundo e o preço continuou subindo. Isso criou um efeito dominó, refletindo, inclusive, no nosso dia a dia, no preço do alimento que consumimos todos os dias”, esclarece Espeschit.


Projetos socioeconômicos e ambientais

O Projeto Potássio Autazes também zela pelo meio ambiente e a sustentabilidade e tem mais de 30 projetos socioeconômico e ambientais, com base nos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, em implantação e previstos para serem implantados por todo o período de vida do empreendimento e mesmo após o fim da operação. 


São ações que apoiarão as vocações e potencialidades econômicas locais e incentivarão a introdução de novos empreendimentos, aproximando a cultura e os saberes tradicionais e o conhecimento técnico-científico. Assim, por meio de parcerias com entidades públicas, privadas e sociais, serão implementados programas e projetos visando promover o crescimento econômico, o desenvolvimento social, o uso sustentável dos recursos naturais e a preservação do meio ambiente.


Atualmente, o Projeto Potássio Autazes está em fase de licenciamento ambiental. Já possui a Licença Prévia (LP), e aguarda a Licença de Instalação (LI) uma vez que a consulta ao povo indígena Mura de Autazes e Careiro da Várzea foi deflagrada desde 2019, fruto de um acordo judicial entre a empresa e o Povo Mura, na Justiça Federal. A empresa mantém-se aberta ao diálogo com a sociedade para mostrar como o Projeto Potássio Autazes pode ser um dos modelos futuros de desenvolvimento do estado do Amazonas.




Nenhum comentário