Últimas

Profissionais do sexo, que atuam em ‘casa das primas’ no Dom Pedro, denunciam perseguição de vizinho

A mulher contou que esta não é a primeira vez que a polícia invade o estabelecimento, sem nenhum mandado, com o pretexto que receberam denúncia de que elas estão descumprindo as medidas sanitárias, segundo ela não é verdade.


‘Valentina’, nome fictício utilizado por uma das mulheres que trabalha como profissional do sexo, em uma casa de prostituição no Dom Pedro, na Zona Oeste de Manaus. A ‘casa das primas’ é situada na rua Mem de Sá.

A mulher contou que esta não é a primeira vez que a polícia invade o estabelecimento, sem nenhum mandado, com o pretexto que receberam denúncia de que elas estão descumprindo as medidas sanitárias, segundo ela não é verdade.

“Nós não atendemos ninguém sem hora marcada e tomamos todos os cuidados exigidos, tanto para a nossa segurança quanto para a segurança dos nossos clientes, que são pagam pelo serviço e merecem todo o nosso respeito”, disse a profissional ‘Valentina’.

Para ‘Valentina’, o único problema é o vizinho, um homem totalmente desajustado e implicante, que em determinada ocasião, entrou no local e agrediu umas das mulheres. “É ele quem denuncia. Ele é um desajustado, vive aqui, gritando com a gente”, segundo ‘as primas’, ele persegue elas e costuma, em horário do serviço, entrar sem ser convidado no local. “É ele quem faz as denúncias”, garante ‘Valentina’.

As moças já foram constrangidas em outras ocasiões por esse homem, que mora ao lado da casa de massagem, na rua Mem de Sá. Elas relataram que ele usa palavras de baixo calão para se dirigir a elas e, que o único que merece ser preso é ele, por desrespeito e atentado à segurança delas.

“Nós trabalhamos com toda discrição, respeito e cuidado. Não prejudicamos ninguém, nem temos essa intenção”, disse a moça, que sugeriu que os policiais que invadiram a casa sobre o pretexto de elas estarem fazendo algazarra onde trabalham, fossem verificar as bocas de fumo e as casas onde muitas mulheres estão sofrendo violência doméstica.

“Estamos tomando todos os cuidados não só contra a covid, mas também contra as doenças sexualmente transmissíveis. Só queremos fazer o nosso trabalho e garantir o nosso sustento”, suplicou.

Entenda o caso
A Polícia Militar do Amazonas prendeu três mulheres, na noite desta quarta-feira (24), em uma casa de massagem no bairro Dom Pedro, zona centro-oeste de Manaus, por descumprimento de medida sanitária. A abordagem ocorreu após denúncia anônima informando sobre as aglomerações no local em virtude de programas sexuais.

No local, foram apreendidos cadernos com registro de programas sexuais com clientes, máquinas de cartão de crédito e a quantia de R$ 900 em espécie.

A abordagem ocorreu após denúncia sobre as aglomerações em virtude de programas sexuais; é a segunda vez que o local é interditado este ano.

Os Policiais militares do Comando de Policiamento Especializado (CPE) realizaram a abordagem por volta das 21h30

É a segunda vez que a casa de prostituição é alvo da polícia, neste ano. A primeira ocorrência, também motivada por denúncia de moradores, aconteceu no dia 9 de fevereiro. Na ocasião, os policiais localizaram porções de drogas e prenderam oito mulheres.

O caso foi registrado no 19º Distrito Integrado de Polícia, no bairro Santo Agostinho.

Nenhum comentário