Últimas

SÓ VENDO PARA CRER: Morador de rua enche a cara de cachaça, vai dormir no bueiro e acaba sendo confundido com um "presuntão"; VEJA

Acredite quem quiser, mas é a pura verdade: uma equipe do Instituto Médico Legal (IML) foi fazer a remoção de um corpo, e descobriu que não tinha corpo nenhum, pois o "morto" estava mesmo era morto de bêbado e dormindo completamente nu dentro de um bueiro.


Esse fato inusitado ocorreu na tarde desta quinta-feira.

E tudo porque os moradores da Avenida J, no Conjunto Ribeiro Junior, bairro da Cidade Nova, Zona Norte de Manaus, simplesmente confundiram um homem vivo com um homem morto.


O fato é que o morador de rua, que também é “pé inchado”, vive a perambular pelo conjunto; ficou bêbado, se despiu completamente porque estava com muito calor, e por fim, entrou em um bueiro para dormir em cima da água suja, mas bem geladinha..



Ele se escondeu no bueiro para tirar um “cochilo” porque não queria perturbação.


Duas moradoras “fofoqueiras” foram jogar lixo doméstico nas proximidades e quando viram o homem dentro do bueiro, já saíram gritando que havia um defunto ali. Nessa hora Ninguém teve medo da Covid-19 e grande quantidade de moradores se aglomeraram rapidamente no local.


Como todo mundo olhava para dentro do bueiro e via que o “bebum” realmente não se mexia, todos não tinha mais nenhuma dúvida: ele estava “mortinho da silva”.


Foram então avisados a Polícia Militar, IML e Delegacia de Homicídios.


Até mesmo os outros pés inchados do conjunto foram chamados para reconhecer o membro do “sindicato dos papudinhos e moradores de rua” do Conjunto Ribeiro Júnior.


Quando já estava todo mundo crente que o homem de 40 anos aproximadamente, realmente “tinha batido as botas” dentro do bueiro, veio a palavra final do perito criminal, chamado ao local: o morto estava morto, sim, mas de bêbado e morto de sono.


Teve até quem quisesse dar umas tapas no pé inchado pra ele parar de assustar os moradores do conjunto e aprender a morrer de verdade.


Resumo da ópera, segundo um gaiato que estava no local: O IML foi buscar, mas o morto acordou.

Por fim, foi todo mundo embora. E o "morto" continuou dormindo no bueiro.

Nenhum comentário