Últimas

Evandro Santo revela que teve AVC na frente de Faustão após cheirar cocaína

 Internado em uma clínica de reabilitação para tratar sua dependência química, Evandro Santo relembrou uma passagem desesperadora da sua vida ao entrevistar Fausto Silva.



O humorista revelou que cobria para o programa “Pânico” a festa de casamento do piloto Emerson Fittipaldi, em 2012, quando teve um AVC (Acidente Vascular Cerebral) na frente de Faustão, após usar cocaína. 

“Tive três princípios de overdose. No casamento do Fittipaldi, eu começo a ter um AVC na frente do Faustão e o 'Pânico' não excluiu essa cena. Pensei que ia demorar alguém para chegar no casamento, fui no banheiro cheirar e o primeiro convidado era o Faustão. Comecei a enrolar a língua na frente dele”, disse Evandro em conversa com o portal iG.

Enfrentando há anos o vício, ele conta que somente em 2014 procurou ajuda especializada. "Cheguei travado na Jovem Pan, fui na sala do Emílio (Surita) e falei: 'Me manda embora porque eu não estou digno de trabalhar aqui. Não vou dar o meu melhor aqui. Não sou digno desse emprego", relembrou.

Evandro contou que Emílio Surita não o demitiu e o ajudou a se internar. Mas na primeira semana, ele enfrentou problemas na clínica. "Fui muito rebelde nas duas primeiras semanas, quis fugir, cheguei a brigar, armar uma rebelião e subir no teto. Depois eu fui ficando bacana porque não gosto de ver as pessoas sofrendo e vi que estava dando muito trabalho. Só que eu não via a hora de sair para usar".

Desde então, ele passou por reabilitação mais três vezes, sem sucesso. E, 2018, teve crises de abstinência no pré-confinamento de “A Fazenda”, mas graças ao contato com a natureza, conseguiu ficar confinado no reality show sem problemas. "Tive uns dez ou doze fundos do poço. Sabia que era fundo do poço e o dia que eu saí às 3h da manhã da minha casa na Augusta e fui para a Rego Freitas (rua em São Paulo) acordando todo mundo para conseguir drogas ilustra bem isso. Bati na porta do traficante às 5h30 da manhã e o cara dormindo. Tinha que conseguir droga, era necessário como se fosse oxigênio", relembra.

“No último ano, eu me lembro de 10h da manhã estar na casa do traficante assistindo Fátima Bernardes e cheirando. Uma das minhas sortes é que não afetou tanto meu cognitivo, mas se eu continuasse usando me daria um ano de vida. Já estava no nível de convidar traficante para o meu aniversário no meio de outras pessoas que não eram adictas. Não estava separando uma coisa da outra.”, diz.

Evandro também contou que passou a ter mais problemas durante a pandemia do coronavírus devido à ansiedade, e a ketamina o fez entrar numa depressão. Ele afirma que Rafael Ilha, que também teve problemas com drogas, vem fazendo visitas regulares na reabilitação.

Atualmente, o humorista está há dois meses internado, sem usar drogas. A clínica fica em Itaperecica da Serra, no interior de São Paulo.

Nenhum comentário