Últimas

Ataque a bancos em Araçatuba (SP) tem tiros, explosivos e deixa 3 mortos



Um grupo de criminosos levou terror à cidade de Araçatuba, no interior de São Paulo, durante ataques a três agências bancárias na madrugada de hoje. A quadrilha espalhou explosivos nas ruas do centro e usou moradores como escudo na fuga. Ao menos três pessoas morreram e outras quatro ficaram feridas.


O ataque aconteceu no centro da cidade, ao redor da Praça Rui Barbosa, onde estão localizadas várias agências bancárias. A Polícia Militar confirmou que três pessoas foram detidas.


Imagens que circulam nas redes sociais, feitas por moradores, mostram os minutos de tensão enquanto o grupo efetuava disparos pelas ruas. Os criminosos foram abordando pessoas que estavam no caminho e roubando seus veículos. Um dos vídeos mostra dois reféns pendurados no capo em um dos carros usados na fuga.


A Santa Casa de Araçatuba informou que quatro feridos, todos homens, estão sendo atendidos na unidade. Três foram feridos por tiros e um por explosivo.


Entre os feridos por tiros estão um homem de 28 anos, baleado no abdome e que está em estado estável; outro, de 31 anos, foi baleado no rosto e nos braços e precisou ser intubado, e uma outra vítima, de 31 anos, foi ferida nas pernas, braços e na cabeça de raspão e precisou passar por cirurgia. Um homem de 25 anos foi atingido por um explosivo e sofreu amputações nos dois pés.


"Estamos vivendo um momento de terror. Moro a poucas quadras do Centro. Ouvi todos os tiros, acompanhando através de vídeos, não saí de casa e peço à população que fique em casa", disse o prefeito Dilador Borges (PSDB) em entrevista ao "Bom Dia São Paulo", da TV Globo.


Por decisão da prefeitura, as aulas das escolas municipais estão suspensas. O mesmo foi recomendado para a rede estadual. O transporte público também foi suspenso na área central da cidade.


Segundo a Policia Civil de Araçatuba, entre os mortos, dois seriam civis — uma vítima foi encontrada morta dentro de um carro e a outra, caída na rua — e o terceiro seria um criminoso, morto durante confronto com a polícia no bairro rural Taveira. O coronel Álvaro Batista Camilo, secretário de Segurança Pública em exercício de São Paulo, informou ainda que o grupo usou drones para monitorar a resposta de policiais à ação.


O valor roubado das agências ainda não foi confirmado, mas os criminosos teriam conseguido acesso a um cofre subterrâneo de um dos bancos.



*Com informações uol

Nenhum comentário