Últimas

PC-AM prende em flagrante dupla por estelionato praticado contra instituições bancárias

João Meireles e Maria José tentavam se passar por outras pessoas para aplicar os golpes

 


A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), por meio da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD), deflagrou ação policial e prendeu, em flagrante, na sexta-feira (24/09), João Meireles Jardins, 81; e Maria José Souza da Cruz, 41, em casos distintos, pelos crimes de estelionato e uso de documentos falsos, em duas agências bancárias da capital, localizadas nos bairros Parque 10 de Novembro e Adrianópolis, zona centro-sul. 

Conforme o delegado Denis Pinho, titular da DERFD, a ação policial visava o combate a organizações criminosas que praticam estelionato contra instituições bancárias. As prisões ocorreram após denúncias, em locais diferentes e os indivíduos não possuem ligação. 

Na primeira ação, de acordo com o titular, no momento da prisão, João Meireles tentava se passar por outra pessoa, utilizando uma identidade falsa para sacar o benefício da previdência social. 

João foi preso em flagrante por volta do 11h, em uma agência bancária localizada no bairro Parque 10 de Novembro. Na quinta-feira (23/09) ele já tinha se passado por uma outra pessoa e sacado o benefício”, explicou a autoridade policial.  

O titular detalhou que na segunda ação policial, as equipes da Especializada conseguiram prender em flagrante Maria José, por volta das 12h30, em uma agência bancária localizada em um shopping no bairro Adrianópolis. 

Ontem, (23/09), a mulher conseguiu consumar o golpe, se passando por uma outra pessoa. Ela abria uma conta e efetuava diversos saques do limite, além de realizar empréstimos. Hoje ela novamente tentou aplicar um golpe em uma agência bancária, e no momento da tentativa, foi presa em flagrante”, relatou a autoridade policial. 

 Procedimentos

João Meireles e Maria José foram presos em flagrante pelos crimes de estelionato e uso de documentos falsos. Os indivíduos foram encaminhados à Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde permanecerão à disposição da Justiça.

Nenhum comentário