Últimas

Internos do sistema prisional realizam Provão Supletivo da Seduc para obtenção de certificado de conclusão de escolaridade

Exame será realizado duas vezes ao ano nas unidades prisionais



Manaus|AM- A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), por meio da Escola de Administração Penitenciária (Esap), em parceria com a Secretaria de Educação e Desporto (Seduc), está promovendo, neste fim de semana, a primeira edição do Provão Supletivo para o público carcerário de Manaus. A avaliação representa uma nova alternativa para a regularização e certificação de conclusão do Ensino Fundamental e Ensino Médio para presos que não concluíram os estudos.

 

Cerca de 605 privados de liberdade estão participando desta edição do exame. Neste sábado (25), 453 internos realizam a prova na modalidade Ensino Fundamental. Amanhã (26), 152 concorrerão na modalidade Ensino Médio. A expectativa é de que a prova seja realizada anualmente, de seis em seis meses.

 

O exame contém 20 questões e segue basicamente os mesmos trâmites do provão eletrônico da Seduc, ressalvadas algumas adaptações para a modalidade escrita, formato escolhido em respeito às medidas de segurança e logística nas penitenciárias. Os assuntos abordados na prova de Ensino Fundamental são de Ciências Naturais, Matemática, Língua Portuguesa, Língua Estrangeira Moderna, Artes, Educação Física e Redação, História e Geografia.

 

Para a de Ensino Médio são das áreas de Ciências da Natureza e suas tecnologias, Matemática e suas Tecnologias, Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e Redação, Ciências Humanas e suas Tecnologias.

 

Conforme afirma a chefe da Esap, Sônia Cabral, o provão supletivo chega como um reforço para o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) para Pessoas Privadas de Liberdade, ferramenta utilizada para obtenção de mesmos fins.

 

Agora, com essa alternativa do provão supletivo existe a possibilidade de um número maior de reeducandos atingirem esse nível de certificação escolar. Isso é muito importante para os encarcerados, que almejam e têm a esperança de transformarem suas vidas por meio do estudo e da capacitação, poderem retornar à sociedade com as habilidades e competências necessárias para concorrer às oportunidades de forma igualitária", reiterou Cabral.

 

Público carcerário 


Os reeducandos inscritos no provão são dos Centros de Detenção Provisória de Manaus 1 e 2 (CDPM 1 e CDPM 2), Detenção Feminina (CDF), Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat) e Unidade Prisional do Puraquequara (UPP).

 

 


FOTOS: Divulgação/Seap

Nenhum comentário