Últimas

Pigossi relembra boato com Rodrigo Simas e fala de autor que incentivou a não assumir homossexualidade

Em um trecho da entrevista que Marco Pigossi deu à Revista Piauí nesta sexta-feira (7), falando sobre o processo de assumir a sua sexualidade, o ator revelou alguns motivos que o fizeram esconder quem ele realmente era por anos, e ter muito medo de revelar ao público que era gay.

Um dos motivos foi o posicionamento de um importante diretor global, que se uniu aos seus medos prévios sobre o tema:  "Em 2010, o ano em que emendei Caras & Bocas direto para a novela Ti Ti Ti, li uma entrevista do Silvio de Abreu, autor de telenovelas e então diretor de dramaturgia da Globo, na Folha de S.Paulo.  Ele dizia que um ator assumido era um 'bobo', pois a revelação fatalmente prejudicaria sua carreira", contou.

O ator contou que precisou fazer terapia durante a novela Caras & Bocas, na qual interpretou um gay afeminado, seu primeiro papel de destaque. "Na minha cabeça, não havia nenhuma margem de chance para eu me assumir. Se fizesse isso, todas as portas se fechariam para mim de forma automática (...) Essa possibilidade me aterrorizava", lembrou ele.  "Estava infeliz por dentro. Seguia me escondendo. Na verdade, eu me fazia passar por um heterossexual por pura e simples manifestação de medo". 

Marco Pigossi também lembrou do boato que dizia que ele e Rodrigo Simas estavam se envolvendo romanticamente. A notícia falsa acabou sendo um gatilho para o ator ter uma crise de pânico. 

Marco conta que chegando de viagem quando leu a falsa notícia.  "Então, tive uma crise de pânico, comecei a tremer e suar. Fui para o banheiro do aeroporto, me tranquei em uma cabine e comecei a vomitar. Liguei para meu parceiro, chorando. Eu dizia para mim mesmo que minha carreira tinha acabado. Não conseguia sair dali. Meu companheiro teve que pegar um voo de São Paulo ao Rio para me buscar", disse.

Em 2012, Marco Pigossi e Rodrigo Simas foram alvo do boato de que estariam vivendo um affair na novela Fina Estampa, fato que segundo ele, jamais aconteceu.  "Era mentira absoluta. A matéria não dava os nossos nomes, mas deixava claro de quem se tratava. Chegava a dizer que nós nos 'pegávamos' nos bastidores das gravações. Era tudo invenção, mas as pessoas acreditam no que querem acreditar (...)",  disse.

Nenhum comentário