Últimas

Filho envenena o pai para invadir sua conta de R$ 2 milhões em bitcoins

Um norte-americano confessou ter envenenado o próprio pai, com o propósito de invadir a conta de criptomoedas em que eles tinham investimentos.

Liam Ghershony, de 25 anos, havia oferecido ao pai uma xícara de chá que continha uma dose elevada de benzodiazepínico, droga psicoativa usada como antidepressivo, que o levou a desmaiar. Em seguida, Liam usou o celular do pai para acessar sua conta de US$ 400 mil (R$ 2,1 milhões) em bitcoins.

O pai foi encontrado, ainda inconsciente, dois dias depois, quando um amigo acionou a polícia ao ficar preocupado com seu desaparecimento. A vítima foi imediatamente encaminhada ao hospital, onde ficou quatro dias recebendo tratamento para desidratação grave e disfunção orgânica aguda.

De acordo com o Washington Post, Liam justificou o crime em um bilhete deixado ao lado do pai enquanto estava dopado. “Não precisava ser assim!” escreveu, acrescentando que estava tentando ajudar os dois. “Eu vou te dar a melhor aposentadoria.”

Após ser detido pelas autoridades, o rapaz confessou ter intoxicado o pai propositalmente. Ele foi inicialmente acusado pelos policiais de tentativa de assassinato, no entanto, os promotores logo classificaram a acusação como exagerada.

David Lease, juiz do condado de Montgomery, em Maryland, chamou o ato de Liam de “ultrajante” após a conclusão do caso.

Liam Ghershon cresceu no subúrbio de Bethesda, ao norte de Washington.

Filho de pais divorciados desde seus 3 anos de idade, ele começou a aconselhar seu pai sobre uma forma relativamente nova de investir por meio de criptomoedas. Então, os dois viraram sócios em uma conta de investimento de US$ 100 mil. Com o aumento do valor, os dois sacaram parte de suas participações em criptomoedas em 2018 e obtiveram um lucro de cerca de US$ 350 mil.

No entanto, o uso de drogas por parte de Liam começou a crescer descontroladamente. Ele tomava grandes quantidades de benzodiazepínicos juntamente com cocaína, de acordo com registros do tribunal. Ele desmaiava diariamente, tendo que deixar sua casa para voltar a morar com a família e desaparecia frequentemente.

À medida que a dependência química piorava, também crescia sua fixação com a queda dos preços de suas participações em Bitcoin. Naquela altura, seu pai havia bloqueado seu acesso às contas em criptomoedas por se preocupar com seu estado de saúde.

Embora Liam tenha se declarado culpado e passado 125 dias na prisão, foi poupado de uma punição longa por passar dois meses em tratamento residencial de drogas e saúde mental. A sentença refletia sua falta de antecedentes criminais, os desejos de seus pais e a determinação do juiz Lease de que a reabilitação era o melhor caminho.

“Eu fiz um monte de coisas malucas e confusas quando estava usando drogas”, disse Liam. “Vou levar isso comigo – a culpa e a vergonha. E eu quero assumir isso enquanto me dedico na recuperação”.

Nenhum comentário