Últimas

Câmara de Manaus gasta quase R$ 640 mil em equipamentos para vereadores divulgarem ações




Cada um dos 41 vereadores da câmara municipal de Manaus recebeu, na semana passada, um kit com máquina fotográfica digital profissional, que também grava vídeos, dois microfones, lentes e mochila.


A presidência da Câmara determinou em dezembro a compra dos equipamentos - que os parlamentares apelidaram de kit selfie. Foram gastos quase R$ 640 mil na compra desses itens.


Segundo o diário oficial, a câmara, por meio de licitação, comprou 42 máquinas fotográficas digitais profissionais por R$ 13,6 mil cada, totalizando R$ 571,2 mil.

Foram mais 42 microfones direcionais a R$ 585 cada, o que totaliza R$ 24,5 mil, além de 43 microfones tipo lapela por R$ 387 cada, o que totaliza R$ 16,6 mil. E 42 mochilas para carregar os kits cada uma por R$ 582, o que totaliza R$ 24,4 mil.

Segundo a direção da Câmara Municipal de Manaus, foram comprados itens a mais para substituir eventuais peças quebradas.


A Câmara de Manaus tem assessoria de imprensa, site, canal de rádio e TV para divulgar as atividades dos parlamentares. Dos 41 vereadores, três devolveram o kit selfie.


“Os parlamentares trabalharam ao longo de todo o ano de 2021 sem necessidade dessa câmera e acredito que é de se espantar que, justamente no ano eleitoral, a Câmara Municipal gaste dinheiro público com a aquisição deste tipo de equipamento”, afirma o vereador Amom Mandell, sem partido.


“Devolvi imediatamente assim que chegou ao nosso gabinete, fiz a devolução porque é um absurdo utilizar o dinheiro público como se fosse de qualquer um né, como se fosse um dinheiro que pode gastar de qualquer jeito, tendo tantas outras prioridades para a população”, diz o vereador Rodrigues Guedes, PSC

“A Câmara Municipal ela tem um presidente e algumas demandas vêm direto da presidência. No caso dessa aquisição das câmeras, ela sequer passa pelo plenário, é aberto aí a licitação e ele faz aquisição dos equipamentos”, diz o vereador Capitão Carpê, do Republicanos.


O presidente da câmara é o vereador David Reis, do Avante. Desde terça feira (22), pedimos para ele gravar entrevista para explicar o motivo dos gastos. Mas o parlamentar não quis falar. Quem atendeu a reportagem foi o diretor geral da câmara, Adonay Barreto.


“O apoio que é dado às atividades parlamentares neste particular é para o cumprimento das suas funções de divulgação, inclusive o trabalho que realizam, né? Então, na verdade, eles estão prestando contas né, das suas ações das suas atividades e para isso, eles precisam de equipamento adequado”, afirmou Adonay Bareto, diretor geral da Câmara dos Vereadores:


Ele também falou sobre o custo dos equipamentos:


“Nós obedecemos tudo que determina a lei, né, foram obedecidos todos os passos e foi feito o pregão presencial de forma que os preços adotados foram de acordo com aquilo que foi apresentado desde o momento que foi iniciado o pregão”, afirmou.


Em dezembro, na última sessão do ano, os vereadores aprovaram o aumento da verba de gabinete - chamado de cotão - usado para pagar gastos como aluguel de carro, combustíveis e internet, de R$ 18 mil para R$ 33 mil.


Os parlamentares também tentaram aprovar a construção de um novo prédio de R$ 30 milhões para a Câmara Municipal e também alugar 41 picapes a mais para cada vereador. A justiça vetou todas as iniciativas.




*Com informações G1 

Nenhum comentário