Últimas

Com medo da derrota iminente, Wilson Lima articula para impedir filiação de Amazonino, o primeiro nas pesquisas

 


Candidato à reeleição, o governador do Amazonas, Wilson Lima (União Brasil) está usando todo o poderio político da máquina pública do Estado para tentar impedir que a filiação do ex-Governador Amazonino Mendes a um partido político e, com isso, impedir que o ‘Negão’, como é conhecido popularmente, seja candidato. Na última pesquisa registrada na Justiça Eleitoral, divulgada no início de março, Amazonino vence Wilson Lima  no primeiro e no segundo turno, com grande diferença de votos.


Wilson Lima enfrenta um dos piores momentos de popularidade, após ter sido  declarado réu no Superior Ttribunal de Justiça (STJ), onde está sendo julgado após ser acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de cometer crimes na compra superfaturada de ventiladores pulmonares (respiradores) destinados ao tratamento de vítimas da Covid-19 no estado.


O governador conseguiu articular para tomar posse partidos que haviam anunciado que gostariam de ter Amazonino como candidato, incluindo o próprio União Brasil. A última cartada foi a declaração do senador Plínio Valério (PSDB), correligionário de Wilson Lima, de que seu partido não vai aceitar o ex-governador. Antes, o dirigente local do PSDB, o senador Arthur Neto, afirmou que Amazonino se filiaria ao partido.


Especialistas em eleições ouvidos pelo site, sob a condição de não serem identificados, disseram que a única forma de Wilson Lima ter alguma chance eleitoral, este ano, é impedindo a candidatura de Amazonino. Um deles mostrou os números da pesquisa do Instituto Perspectiva, onde Amazonino aparece Instituto com 33,4% das intenções de voto, contra 22,5% do governador. A pesquisa ouviu 3600 pessoas entre 23/02/2022 e 04/03/2022. A margem de erro é de 2 pontos percentuais e pesquisa, divulgada em 01/03/2022, foi registrada no TSE sob o número AM-00400/2022.


Segundo os analistas, Wilson Lima, que teve nos três anos de gestão os maiores orçamentos da história do Amazonas, além de ser envolvido em vários escândalos, não conseguiu a competência para fazer muito pelo Estado e pela população. Eles lembram ainda o escândalo da falta de oxigênio, que virou notícia internacional envolvendo o nome do governador.


O julgamento de Wilson Lima no STJ pode ocorrer ainda este ano. O Ministério Público Federal (MPF) imputa ao governador os delitos de dispensa irregular de licitação, fraude a procedimento licitatório, peculato, liderança em organização criminosa e embaraço às investigações.


Nenhum comentário