Últimas

Implurb notifica obra de condomínio por descumprir normas do órgão e causar transtornos para moradores do Nova Esperança

Vizinhos reclamam que a empresa responsável pela obra não utiliza tela de proteção, o que ocasiona sujeira de pó de cimento, poeira de barro e areia em suas residências, além de lama na rua nos dias de chuva

Janelas e portas fechadas 24 horas! Esta é a rotina de moradores de três condomínios de apartamentos e de casas no bairro Nova Esperança há um ano, quando iniciou a construção do residencial Prediletto Ponta Negra, localizado entre as ruas José Frutuoso e Rua da Prosperidade, na zona centro-oeste de Manaus.

Os moradores dos edifícios Evidence Ponta Negra, House Ville Manaus, Florence Garden, além de casas do bairro Nova Esperança, reclamam que a construtora RD Engenharia não respeita algumas regras da construção civil determinada pela Prefeitura de Manaus, por meio do Instituto Municipal de Urbanização (Implurb), sendo a principal delas a utilização obrigatória da tela de proteção para evitar que dejetos e poeira de cimento, barro e areia sejam levados pelo vento para os apartamentos e casas no entorno. 

Os vizinhos da obra também reclamam que é comum nos dias de chuva intensa que o barro da obra se desmanche e escoa para a rua, tornando a vida totalmente enlameada. A obra se encontra em um terreno alto em relação às demais casas e prédios do local. Esse declive facilita que os resíduos sejam levados pela chuva e pelo vento para as demais residências da área.

"Por essa razão, o barro escorre todo diluído e vai parar no fim da rua, mas, quando o sol volta, tudo fica seco e isso causa um poeiral sem fim", desabafou uma das residentes do bairro.

"Quando não está quente, até dá para suportar ficar em casa com janelas e portas fechadas, mas, quando o sol está forte, isso se torna um inferno, porque, acredite, até dentro do meu guarda-roupa entra poeira de barro e areia. É simplesmente inacreditável que isso venha acontecendo há um ano, apesar das reclamações que já foram feitas para os responsáveis da obra", disse outro morador do bairro.

A equipe de reportagem foi ao local e constatou que os edifícios construídos não utilizam tela de proteção. A reportagem entrou em contato com o Implurb e recebeu a informação de que uma equipe de fiscalização foi enviada ao local e notificou a obra.

Segundo o Implurb, a obra está com licenciamento em vigor e já foi notificada nessa segunda-feira (28/3) pela Divisão de Controle (Dicon) do Implurb, por ausência de tela de proteção, conforme determina a legislação vigente urbanística. O Implurb informou que a referida edificação tem alvará de construção válido até 28 de janeiro de 2023.

O Implurb também informou que, conforme o Código de Obras de Manaus, art. 145, parágrafo único, "as edificações a partir de quatro pavimentos deverão dispor de redes de proteção contra poluição, de forma a prevenir transtornos à vizinhança imediata ou acidentes decorrentes de suas atividades".

Nenhum comentário