Últimas

Cigás ampliará oferta de gás natural com expansão da rede de gasodutos

Serão construídos 38 quilômetros de rede de distribuição, neste ano, com investimentos exclusivos da Cigás 




Neste mês de maio, a Companhia de Gás do Amazonas (Cigás) intensificará as obras de expansão da sua rede de distribuição de gás natural (RDGN). Com os novos investimentos previstos para este ano, no valor de R$ 34 milhões, a concessionária espera ampliar a oferta de gás natural na capital amazonense, aumentando a parcela da população beneficiada com o combustível.

 

O montante do investimento é oriundo exclusivamente de recursos da própria Cigás. As frentes de obras preveem a implantação de mais 38 quilômetros de RDGN. A expectativa é que a Companhia chegue ao fim do ano com uma rede total de 220 quilômetros.

 


A Cigás realiza estudos de viabilidade econômica e de prospecção de potenciais consumidores para nortear a ampliação de sua atuação. As obras abrangerão os bairros Alvorada, Chapada, Distrito Industrial, Dom Pedro, Parque 10, Planalto, Lago Azul e trechos específicos da avenida Torquato Tapajós.

 

Com as novas obras, planeja-se alcançar a marca de 11,5 mil unidades consumidoras até dezembro de 2022. Atualmente, a Companhia contabiliza mais de 10 mil unidades consumidoras de gás canalizado dos segmentos termelétrico, industrial, veicular, comercial, residencial e autogeração/liquefação.

 


As maiores indústrias do parque fabril de Manaus (60 no total), os principais shoppings da cidade, restaurantes, academias, lavanderias, supermercados, uma série de condomínios residenciais, o Hospital e Pronto-Socorro Delphina Aziz e postos de combustíveis já usufruem da série de benefícios gerados pelo uso do gás natural (GN) distribuído pela Cigás.

 

Frentes de atuação

A concessionária aumentará a extensão de redes construídas com polietileno de alta densidade (Pead), empregadas para atender consumidores que demandam menor volume do combustível. Este tipo de rede será implantada em novos trechos do Distrito Industrial para beneficiar indústrias.

 

A Companhia investiu no desenvolvimento de novos modelos de Estações de Redução de Pressão (ERPs), que visam reduzir a pressão do GN da rede de tubulação de aço para a distribuição do combustível por meio das redes de Pead, possibilitando maior capilaridade da rede.

 

As ERPS, projetadas por equipe técnica da própria Cigás, contam com telemetria para o monitoramento remoto de dados operacionais, alimentação por painel solar, sistemas de detecção e alerta de vazamento de gás natural, permitindo a rápida intervenção. São montadas em caixas de aço inoxidável para garantir maior durabilidade e enterradas em canteiros e calçadas para causar o menor impacto no paisagismo urbano.

 

“Com esses investimentos em tecnologia e na infraestrutura da rede de gasodutos, pretendemos expandir também o número de usuários de gás natural de segmentos importantes para o desenvolvimento econômico e social do estado”, ressalta Clovis Correia Junior, diretor técnico comercial da Companhia.

 

As obras incluem ainda a implantação de gasodutos para atendimento do condomínio residencial Verona Premium, que faz parte de empreendimentos do programa social Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal, e está localizado no bairro Lago Azul, zona norte da cidade. A infraestrutura construída proporcionará atendimento a 1.100 unidades consumidoras, beneficiando em torno de 4.000 pessoas.

 

Investimentos e ganho social

Desde o início de sua operação comercial (em 2010) até o ano passado, a Companhia totaliza R$ 642 milhões de investimentos, em valores corrigidos, no mercado de gás natural no Amazonas. Em 2021, a Cigás atingiu recorde histórico de volume comercializado – média de 5,2 milhões de metros cúbicos (m³)/dia.

 

Os resultados alcançados pela Cigás, ao longo dos anos, têm contribuído com a arrecadação de tributos estaduais pela cadeia de gás natural no Amazonas. Em 2021, a cadeia arrecadou R$ 614,5 milhões em Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Este recurso pode ser aplicado em áreas prioritárias, como educação, saúde e segurança.

 

Além da capital, o gás natural da Cigás também beneficia os municípios de Anamã, Anori, Caapiranga, Coari, Codajás e Silves.

 

“Na condição de concessionária de serviço público de distribuição de gás natural, nossa missão é levar o combustível para um número cada vez maior de amazonenses a fim de que usufruam de seus benefícios e contribuir para o desenvolvimento socioeconômico do Amazonas”, enfatizou René Levy Aguiar, diretor-presidente da Cigás.

 

Método de obras não destrutivo

Para atingir a meta estabelecida de construção de 38 quilômetros neste ano, a maior parte das obras será realizada no período noturno, porém, algumas ocorrerão durante o dia, especificamente em ruas do Distrito Industrial e em áreas de condomínios residenciais, mas sempre em coordenação com órgão responsável pelo trânsito.

 

A Companhia adota método inovador de construção, denominado não destrutivo, que não requer a abertura de grandes valas. Ao invés disso, é feito um furo com uma máquina do tipo perfuratriz, a cada 150 metros aproximadamente, possibilitando que a rede seja implantada sob a superfície de ruas e avenidas, sem causar maiores transtornos à mobilidade urbana e à população.

 

Em seguida, a Cigás realiza o recapeamento asfáltico, que acontece em duas etapas: a cada finalização de furo diariamente com asfalto a frio (provisório) e, após a conclusão definitiva das obras, em cada trecho, com asfalto quente.

 

Além disso, a Companhia possui a preocupação de dar ciência de seu planejamento de obras a órgãos dos governos estadual e municipal, a fim de que sejam realizadas em conformidade com as intervenções previstas na área de infraestrutura por essas esferas. 

 

FOTOS: Divulgação/Cigás


Nenhum comentário