Últimas

Homem de 73 anos é preso por estuprar adolescente autista em Manaus

O autor do crime, ainda convidou os agentes da Depca para tomar um café no momento da prisão




Manaus (AM) – Um adolescente de 12 anos com Transtorno do Espectro Autista (TEA) foi estuprado por um homem de 73 anos, preso por policiais da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), nesta quarta-feira (1). O caso aconteceu no bairro Colônia Antônio Aleixo, Zona Leste de Manaus.


Segundo a titular da Depca, delegada Joyce Coelho, o caso foi descoberto após a mãe da vítima levar o garoto ao Serviço de Pronto Atendimento (SPA) do bairro. Ele se queixou de uma dor intensa na barriga. Depois de exames, foi constatado que o menor foi abusado sexualmente.


A criança, então, relatou que um vizinho, proprietário de um restaurante, que é ex-patrão da mãe dele, teria o atraído até a casa onde aconteceu o ato sexual e, na delegacia, em escuta especializada, esse menino relatou que o fato já havia acontecido outras vezes, onde o autor, aproveitando-se da pouca idade do menino e de ser um adolescente especial. O autor cometia os crimes e o garoto se recorda que o autor lhe deu R$11, que o garoto comprou pão de queijo. Ou seja, um adolescente vulnerável, também, economicamente”, afirma.


Estuprador e assassino


Ao tomar conhecimento do crime, ainda de acordo com a delegada, os policiais realizaram diligências e encontraram o idoso em uma rua do bairro Colônia Antônio Aleixo, por volta de 6h30, efetuando a prisão do homem em flagrante.


Na Depca, os policiais também descobriram que, em 2010, o homem já havia praticado um homicídio contra uma menina de 10 anos, matando a vítima por estrangulamento.


“Ele oferecia dinheiro para essa criança no bairro para ter relações sexuais com ela. Com o passar do tempo, a menina contou os fatos. Inclusive, para a mulher dele, na ocasião. Ele passou a perseguir a criança, fazer ameaças e a menina, no dia 30 de novembro de 2010, apareceu morta com sinais de estrangulamento. 


No decorrer da investigação, foi solicitada a prisão preventiva dele que, na época, tinha 62 anos. Hoje, ele tem 73. O processo transcorreu e ele respondeu em liberdade, foi condenado a 16 anos. Em 2020 foi expedido um mandado de prisão, mas a defesa dele pediu que fosse domiciliar alegando a idade e o Covid”, disse Joyce Coelho.


Com a prisão domiciliar, ele passou todo o processo do homicídio solto. Agora, a segunda instância confirma a sentença condenatória pelo estrangulamento da criança.


“A pessoa se alega idoso para ter prisão domiciliar e continua cometendo abusos sexuais da mesma forma. E vemos o risco que esse adolescente, de agora, estava correndo de aparecer morto. Principalmente agora, que ele fez a denuncia”, relata a delegada.


Cafézinho


No momento da prisão, os policiais observaram a frieza do criminoso, que ainda convidou os agentes da Depca para tomar um “cafézinho”.


“Estava frio, tranquilo e ainda nos convidou para tomar um ‘cafézinho com pão’. Ele não alegou nada. Está preso e vamos comunicar a vara de execuções penais, sobre o homicídio qualificado e demonstra que tem capacidade, apesar da idade, para cometer crimes graves. O perfil dele é esse e é um comerciante que mora sozinho e pode ser que apareçam outras vítimas. Nesta casa em que vive é que cometeu o crime contra o menino de 12 anos”, disse Joyce Coelho.


Atendimento


O adolescente de 12 anos passou por atendimento médico e recebe atendimento psicológico. Depois, será encaminhado ao Serviço de Atendimento de Vítimas de Violência Sexual, na Maternidade Moura Tapajós e a família orientada, com todos os acompanhamentos. 


A criança apresenta dificuldade de fala, por ser especial. Foi neste momento que o autor se aproveitou das dificuldades da criança.

Nenhum comentário