Aconteceu!

Campanha ‘Doe um Frasco de Amor’ arrecada potes para armazenamento de leite humano


Como parte das ações da Semana de Amamentação e do Agosto Dourado, a Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (Susam) lançou a campanha “Doe um Frasco de Amor” para arrecadação de potes de vidro para o Banco de Leite Humano (BLH) do Estado.

Os frascos serão utilizados para o armazenamento de leite materno do BLH, que atende crianças prematuras de Manaus e dos municípios do interior do Amazonas. Em 2019, o Banco de Leite do Estado atendeu mais de 4,8 mil bebês prematuros por meio de 1,9 mil litros de leite distribuídos.


Para o melhor armazenamento e esterilização, os potes doados devem ser de vidro e com tampa plástica rosqueável, no estilo dos recipientes de café solúvel. Além do armazenamento, os frascos são utilizados para pasteurização e distribuição do leite seguindo as normas de segurança dos órgãos de vigilância sanitária.

Os potes podem ser doados de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h, no Banco de Leite Humano da Maternidade Ana Braga, situada na avenida Cosme Ferreira, s/nº, bairro São José; no BLH Galileia da Maternidade Azilda da Silva Marreiro, localizada na avenida Samaúma, 630, Cidade Nova; e no BLH da Maternidade Balbina Mestrinho, situada na rua Duque de Caxias, 1.142, Praça 14.


Para doações a partir de 10 potes, a equipe do Banco de Leite vai até o local onde está o doador. A coleta dos itens deve ser agendada pelos telefones 3647-4235 (Ana Braga); 3182-4509 (Balbina Mestrinho); e 3643-5523 e 99170-5783 (Azilda Marreiro). Enfermeiros, médicos, técnicos de enfermagem, técnicos de nutrição e bioquímicos que fazem parte da equipe do BLH participam da coleta.

Leite materno – Segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), da Organização Mundial da Saúde (OMS), o leite materno é o melhor alimento para os recém-nascidos e crianças com até 2 anos.

O leite humano coletado é utilizado para a alimentação de bebês internados e que não podem ser amamentados pelas próprias mães. Por meio do leite materno, a criança tem mais chances de recuperação e fica protegida de infecções, diarreias e alergias.

FOTOS: Rodrigo Santos/Susam




Nenhum comentário