Últimas

Facção CV não tolera “talaricagem” entre membros e pune com assassinato no tribunal do crime; veja comunicado

 Um informativo inusitado passou a ser postado, como alerta, em status de integrantes de facção criminosa. Trata-se de um salve do Comando Vermelho que “proibiu” que membros mantenham relacionamentos com ex-mulheres de filiados da facção. “Está proibido ex-mulher de irmão ou de companheiro criminoso se envolver com outros irmãos ou companheiros criminosos”, avisa o post.


A cobrança, segundo eles, começou a vigorar a partir desta quarta (23) e quem “Para quem descomprir (sic) será cobrado com o óbito, tanto para os irmãos, quanto para as mulheres. É proibido esses relacionamentos na nossa ideologia do crime. Não será admissível mais isso”, diz trecho do informativo que finaliza dizendo esperar que os irmãos e companheiros criminosos “entendão” este salve.

Leia, na íntegra:


Com a estrutura de uma máquina de poder paralelo, a facção criminosa Comando Vermelho conseguiu, de 2014 a 2020, elevar o número de integrantes em 1150%, chegando a 10 mil batizados. Na Operação Grená, deflagrada em 2014, eram apenas 800.

Neste cenário de crescimento, a facção mantém a hegemonia no controle de bairros e ruas em mais de 95% das cidades. Menos no Nortão, onde ainda não está bem estabelecida, uma vez que certas regiões de lá sofrem influência do rival PCC, o Primeiro Comando da Capital.

Com uma “ética própria”, o CV vem expandido negócios e, no momento, em Mato Grosso, usa de “diplomacia” para não confrontar tanto com as Forças de Segurança.

O estatuto diz que o conselho da organização criminosa estabelece regras cruciais para o funcionamento da mesma. No primeiro artigo, o texto traz o lema: paz, justiça e liberdade. “Apesar de todas as lutas, também somos de paz”. Já o segundo artigo elenca os “cinco pilares” da facção: liberdade, respeito, luta, justiça e união.

* Com informações do RD News

Nenhum comentário