Últimas

Manobra de Wilson Lima tenta salvar dep. Joana Darc da cassação de mandato, denuncia Wilker Barreto



O deputado estadual Wilker Barreto usou a tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) nesta quarta-feira para criticar o pedido de aditamento da representação de sua autoria contra a deputada Joana Darc (PL) por quebra de decoro parlamentar.


A solicitação foi protocolada pelo presidente do Diretório Estadual do PODEMOS no Amazonas, deputado Abdala Fraxe, que é aliado do governador Wilson Lima.


 Em pronunciamento na Aleam, Wilker afirmou que a medida de Abdala, que ocupa a função de segundo vice-líder do governo do Amazonas, visa derrubar a ação contra a deputada Joana Darc, após a mesma acusar, sem apresentar provas, no dia 3 de dezembro de 2020, uma suposta compra de votos na eleição que definiu Roberto Cidade (PV) como presidente do Legislativo no biênio 2021-2022.


Na ocasião, Joana Darc citou que os 16 deputados que votaram em Roberto Cidade receberam R$ 200 mil.


 “Numa medida desesperada do governo, o deputado Abdala, que é governista declarado, ingressa com um pedido para suspender o processo de apreciação das palavras caluniosas praticadas pela Joana Darc. É um pedido de aditamento totalmente surreal, indecente e imoral. Nós estamos falando de 16 deputados sendo chamados de corruptos”, ponderou Wilker, que protocolou denúncia contra Joana Darc na Comissão de Ética da Casa Legislativa (CEP-Aleam).


Barreto voltou a reforçar que a eleição de Roberto Cidade foi uma vitória do Parlamento Estadual contra o governo do Amazonas, que nos bastidores articulava para lançar como candidata à presidência da Casa a antiga vice-líder do Executivo e atual secretária estadual de Assistência Social (Seas), deputada Alessandra Campêlo (MDB).


O deputado pontuou ainda que as acusações infundadas de Joana Darc podem atrapalhar os deputados citados no processo eleitoral de 2022

Por fim, Wilker afirmou que não abrirá mão da sua representação contra Joana Darc e pediu celeridade da Casa para apreciação da matéria.


“Eu não abrirei mão do direito de ter o nosso nome aqui resguardado. O que eu peço e reitero é celeridade na apuração desse fato grave, o pedido de desculpas não tira o dolo e a necessidade desta Casa apurar”, finalizou o deputado.




Fonte: zerohoraam

Nenhum comentário