Últimas

Wilson Lima libera R$ 2 milhões em investimentos para pescadores e produtores rurais de Iranduba

Ação ocorreu durante edição do Governo Presente, que ocorreu nesta sexta-feira (3)



Cerca de R$ 2 milhões em fomento e investimentos ao setor primário de Iranduba (a 27 quilômetros de Manaus) foram entregues pelo Governo do Amazonas, nesta sexta-feira (03/06), durante edição do Governo Presente, coordenada pelo governador Wilson Lima. As ações beneficiam mais de três mil pessoas que vivem da pesca e produção rural no município. 


Por meio da Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror), foram entregues 15 mil alevinos e oito kits agroecologia para apoiar e fortalecer a produção de alimentos orgânicos de agricultores familiares de Iranduba.


Um dos beneficiados foi o pescador Ducivaldo Bernaldo, que foi contemplado com um bote de alumínio que vai auxiliá-lo na atividade pesqueira. “Muito importante para a gente. Vai melhorar bastante. Antes, a gente pescava numa canoa de madeira, e agora vai ser num bote de alumínio. É outro momento, melhor. É bom demais”, disse.


Durante o Governo Presente, também houve a entrega de 420 Cartões do Produtor Primário (CPP), 128 Declarações de Aptidão ao Pronaf (DAP), 42 Cadastro Ambiental Rural (CAR) e Crédito Rural no valor total de R$ 315.612,58, disponibilizado pela Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam).


De acordo com o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal do Amazonas (Idam), essas medidas dão maior garantia jurídica ao trabalho dos produtores rurais, oferecendo segurança e ampliando o acesso às políticas públicas


Fomento

Durante o Governo Presente, o governador Wilson Lima também entregou cheques-pagamento para sete entidades do setor primário de Iranduba. Somando todos os recursos, oriundos de edital do Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS), foram liberados R$ 1.293.617,00, que beneficiaram 2.202 pessoas diretas e indiretas.


As associações e cooperativas beneficiadas produzem e comercializam produtos como a mandioca, farinha, feijão de metro, abóbora de leite, melancia, milho, pepino, cheiro-verde, alface, cebolinha, além de peixes, suínos e bovinos.


Para Raimundo Nonato, membro da Cooperativa Agrícola de Iranduba (Coopiagro), o investimento vai ajudar a mudar a vida do produtor rural, principalmente no escoamento do produto. 


“É incomparável [o investimento]. Eu tenho 48 anos, desse meu tempo de vida pra cá, é o primeiro governo que eu vejo que tem os olhos para o estado do Amazonas, principalmente para o agricultor. Hoje, se não fosse o Wilson, o agricultor estava ‘morto’, principalmente com a enchente que deu o ano passado, uma das maiores de 100 anos”, afirmou.


Os investimentos do FPS atenderam produtores que fazem parte da Sociedade Beneficente Nossa Senhora De Nazaré, Associação Comunitária Bebê Amaro da Ilha da Paciência, Associação Comunitária São Lazaro II, Associação Comunitária São José da Ilha do Jacurutu, Cooperativa Agrícola de Iranduba (Coopiagro), Associação agropecuária do Ramal do Janauari (Acarj) e Associação Rural de Desenvolvimento Comunitário Morada do Sol.


*Conheça as vantagens dos documentos entregues aos produtores rurais de Iranduba*


DAP:


É o documento que identifica os Agricultores Familiares e/ ou suas formas associativas organizadas em pessoa jurídica (associações e cooperativas), aptos a realizarem operações de crédito rural ao amparo do PRONAF, e para acesso às políticas públicas federais, estaduais e municipais.


Cartão do Produtor:

O cartão é um documento que concede, entre outros benefícios, a isenção de ICMS na aquisição de insumos, máquinas e equipamentos; desconto de energia elétrica junto a operadora, mediante o cadastro e a vistoria da empresa de energia elétrica; e também é indispensável no processo de aposentadoria.


Cadastro Ambiental Rural:


é um registro eletrônico que tem por finalidade integrar as informações ambientais referentes à situação das Áreas de Preservação Permanente (APP), das áreas de Reserva Legal, das florestas e dos remanescentes de vegetação nativa, das Áreas de Uso Restrito e das áreas consolidadas das propriedades e posses rurais do país. Através do CAR, o produtor é capaz de comprovar que sua propriedade se encontra em estado de regularidade ambiental.


Fotos: Bruno Zanardo e Lucas Silva/SecomTá 

Nenhum comentário